Rental News | Confira nossa publicação mensal

21

Set 2016

MANUTENÇÃO PREVENTIVA É GESTÃO INTELIGENTE

Todos os processos de uma locação são importantes para garantir o melhor atendimento ao cliente e trazer os melhores resultados […]

Todos os processos de uma locação são importantes para garantir o melhor atendimento ao cliente e trazer os melhores resultados para a locadora. A manutenção, muitas vezes chamada de mecânica, tradicionalmente, é vista como uma caixa preta a ser decifrada, naturalmente por ser uma área técnica. Muitos gestores se afastam por não entendê-la, outros a veem somente como fontes de despesas. As equipes de manutenção não executam seu serviço de forma satisfatória, a substituição de equipamentos no cliente geram retrabalho devido à má conservação e falta de um método preventivo de falhas, bem como a condição de um custo equilibrado entre o que se gasta e a influência disto nos resultados. Se fossemos elencar todos os problemas passaríamos um bom tempo conversando sobre isto.

A questão aqui não é impor uma maneira de fazer as coisas, mas é de gerar uma reflexão para que cada empresa avalie as alternativas e possibilidades para alavancar melhores desempenhos na área de manutenção.

Podemos identificar dois macro objetivos da manutenção de uma locadora:

1 – A reposição rápida e de qualidade para o estoque, já que é a matéria-prima da locação;

2 – O equipamento e que o mesmo garanta o serviço para o cliente.

Um bom começo é trabalhar na organização do setor, escolher o melhor método de manutenção (corretiva, preventiva, preditiva), de acordo com a criticidade do equipamento para a geração de receita no negócio, seu valor de ativo e fatores de custo.

Outro ponto é na preparação e capacitação do profissional de manutenção, desenvolvendo o conhecimento técnico adequado às necessidades do negócio, já que muitos trabalham com uma gama de equipamentos que vão desde ferramentas elétricas a movidos a motores a combustão.

Um dado interessante é que 80% das falhas na execução da manutenção tem relação direta com erros de diagnóstico. Muitos profissionais vão na tentativa e erro, sem ter uma visão clara das causas geradoras das falhas. Isto ocasiona sempre problemas, como:

• a compra de peças sem necessidade, aumentando as despesas
• erros de avaliação que levam ao mau funcionamento e redução da vida útil do equipamento
• um impacto negativo na relação com o cliente – quem paga pela improdutividade?

Observe também o gerenciamento e controle deste processo. Uma boa estruturação das suas atividades de operação e sua padronização, indicadores e metas que retratem a real performance da área e gere o aprendizado voltado a melhoria contínua.

Qualidade e produtividade dependem de mais atenção aos pontos enumerados, ainda que as soluções sejam desafiadoras. Enfrentar os desafios com ações simples e práticas é sempre um bom caminho!

MARCOS HENRIQUE FABRIS
Diretor da Deploy Lean, Engenheiro Mecânico com Pós-Graduação em Gestão da Produção. Especialista em Métodos e Processos, Gerenciamento de Operações Complexas, Executive Coach, representante do Lean Learning Center no Brasil e 16 anos de experiência no desenvolvimento de projetos de Gestão Lean em empresas no Brasil e EUA.

Patrocínio
Print

Share this...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Mais Rental News