Notícias | Fique por dentro

09

Jun 2020

Leroy Merlin lança serviço de aluguel de ferramentas

São mais de 30 máquinas e equipamentos disponíveis e o período de locação pode chegar até quinze dias

 

 A Loja da Leroy Merlin localizada no Shopping Lar Center, em São Paulo, criou um serviço de locação de ferramentas e equipamentos que visa ajudar os clientes em período de pandemia.

O serviço já está disponível na Loja e permite a locação de mais de 30 itens como extensões, escadas, furadeiras, serra circular, marteles, lavadoras de alta pressão, extratora de tecido, scanner de parede entre outros.

O novo serviço foi idealizado para hobbystas e adpetos do ‘Faça Você Mesmo’.
“Oferecemos aos clientes máquinas e equipamentos que eles normalmente utilizam pouco, não tem espaço para guardar e não desejam investir altos valores neste momento. Mas também atende aquele Cliente que tem dúvidas sobre adquiri um equipamento, pois ele pode testá-lo, conhecê-lo em funcionamento antes de resolver comprá-lo”, informa João Alberto de Souza, gerente de vendas da Leroy Merlin Lar Center.

Como alugar uma ferramenta ou equipamento
Para fazer a locação é necessário ter em mãos um documento com foto, CPF ou CNPJ e cartão de crédito com limite para garantia dos 30% do valor dos itens, que será estornado no ato da devolução.

O custo da locação gira em torno de 5% do valor do item e pode ser feita através do WhatsApp (11) 94282-5130 ou na Loja.

Segundo o gerente, a taxa de frete para entrega e retirada dos itens é calculada de acordo com o tamanho dos equipamentos solicitados ou se o cliente preferir pode retirar e entregar os itens alugados na loja de acordo com a data e horário mencionados no contrato de locação.

O período de locação dos equipamentos pode ser diário, semanal ou quinzenal e renovados de acordo com a necessidade do cliente que pode locar até três itens de única vez.

Economia compartilhada
O compartilhamento de produtos e serviços tem ganhado cada vez mais adeptos. De acordo com uma pesquisa realizada em 2019 pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em todas as capitais brasileiras, 79% dos entrevistados acreditam que o compartilhamento de bens torna a vida mais fácil e funcional e 68% acreditam que em dois anos estejam participando efetivamente do consumo colaborativo.

O compartilhamento de produtos e serviços, além de economizar, gera menos resíduos ao meio ambiente.

“Às vezes, o que o cliente precisa é de um furo na parede para pendurar um quadro ou uma cortina e não da furadeira. Pensar no benefício do produto é a nova forma de nos relacionarmos com o ato de consumo, que nos garante benefícios econômicos, sociais e ambientais para todos”, enfatiza.

 

 

Fonte: Revista Grandes Construções

Mais Notícias

No Banner to display