Notícias | Fique por dentro

07

ago 2017

CBCA lança novas pesquisas do setor da construção industrializada em aço

Estudos comprovam que setor está preparado para a retomada do crescimento da economia

O Centro Brasileiro da Construção em Aço (CBCA) – entidade gerida pelo Instituto Aço Brasil – em parceria com a Associação Brasileira da Construção Metálica (ABCEM) finalizou as novas edições das pesquisas anuais feitas com fabricantes de estruturas de aço, de telhas de aço & steel deck e de perfis galvanizados para drywall e light steel frame. As pesquisas se aperfeiçoaram e os resultados obtidos em 2017 servirão para subsidiar as entidades no direcionamento de suas ações, com contribuição direta no desenvolvimento e fortalecimento do setor da construção industrializada em aço. Estima-se que a representatividade das empresas pesquisadas nos três estudos – que já estão publicados no site do CBCA – seja de 75% dos seus mercados.

As pesquisas evidenciam mercados com grande potencial de crescimento e que lutam contra a fraca demanda diante da atual situação político-econômica do Brasil, que contribui para o baixo volume de obras e para o fechamento de algumas empresas. Os estudos do CBCA/ABCEM antecipam, por exemplo, que o setor de Estruturas de Aço – que já cresceu 10,8% ao ano entre 2008 e 2014 (dados da Produção Industrial Anual do IBGE) – teve uma queda em sua produção de 40% na comparação entre 2015 e 2016, ainda maior do que a anterior, que foi de 23,6% na comparação entre 2014 e 2015. A produção de estruturas de aço no Brasil que era de 2 milhões de toneladas em 2014 caiu para 694 mil toneladas em 2016.

Ainda sobre a pesquisa “Cenário dos Fabricantes de Estruturas em Aço” – que está em sua 6ª edição – destaca-se a baixa utilização da capacidade instalada, de apenas 43%. A maioria das empresas entrevistadas (52%) não tem expectativa de crescimento para 2017. Ao todo, foram ouvidas 262 empresas – localizadas em sua maioria (60%) na Região Sudeste – que apresentaram faturamento anual de cerca de 4 bilhões de reais em 2016. Cerca de 26 mil colaboradores trabalham nas empresas fabricantes de estruturas de aço e as obras de grande porte, como as industriais e de infraestrutura, representam juntas quase 80% do volume de estruturas produzido.

Em sua 5ª edição, a pesquisa “Cenário dos Fabricantes de Telhas de Aço & Steel Deck” também apresenta um setor com baixa utilização de sua capacidade instalada, de 50% em 2016 (em 2015 era de 56%). Esse mercado também sofre com a atual crise político-econômica do País, com mais de 80% das empresas declarando queda na produção na comparação entre 2016 e 2015. Na visão dos fabricantes, a falta de valorização da qualidade do produto e o baixo volume de obras são os principais fatores que dificultam o crescimento. No total, 108 empresas – com faturamento estimado de 2,5 bilhões de reais em 2016 – foram ouvidas.

Na contramão de outras pesquisas realizadas no País sobre construção civil, o estudo “Cenário dos Fabricantes de Perfis Galvanizados para Light Steel Frame e Drywall” aponta índices otimistas em relação aos fabricantes de seu setor, reforçando a premissa de que em tempos de crise novos sistemas surgem como solucionadores de problemas. Em sua 4ª edição, a pesquisa aponta que cerca de 70% das empresas pesquisadas esperam crescimento em 2017. 23% é a utilização da capacidade instalada de perfis para light steel frame (esqueleto estrutural que suporta a edificação) e 31% é a utilização da capacidade instalada de perfis para drywall (sistema de vedação não estrutural de painéis). Considerando a capacidade produtiva existente – 57 mil toneladas/ano para perfis para light steel frame e 140 mil toneladas/ano para perfis para drywall – todo o setor está preparado para atender a um crescimento da demanda, cenário similar aos setores analisados nas outras duas pesquisas. Destaca-se ainda que apenas 22% da produção de light steel frame em 2016 foi direcionada para instalações industriais, o que significa que a indústria de forma geral não cresceu.

compartilheShare on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on TumblrShare on LinkedIn0

Mais Notícias