Notícias | Fique por dentro

25

Mar 2020

Empresas de equipamentos de construção adotam medidas para conter o avanço do novo Coronavírus no país

-->

O Grupo Volvo, por exemplo, decidiu suspender a produção em Curitiba (PR) por quatro semanas, a partir de 30 de março

 

Empresas do setor de construção e do agronegócio atendem as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde e adotam soluções para evitar a propagação do novo Coronavírus (Covid-19).

A John Deere, por exemplo, afirma que vem estabelecendo medidas efetivas para contribuir na contenção da curva de contaminação pelo novo Coronavírus.

Dentre as medidas adotadas, estão: campanhas informativas e de conscientização quanto à higiene pessoal e no ambiente de trabalho; reforço na higienização dos ambientes de trabalho; organização de normas internas sobre distanciamento social; suspensão de viagens nacionais e internacionais; flexibilização de jornada de trabalho em home office; adiamento de eventos externos e internos organizados pela companhia; cancelamento de participação em eventos externos organizados por outros.

“A John Deere segue comprometida com sua força de trabalho, seus clientes e autoridades competentes para atravessarmos juntos este momento tão desafiador do país e do mundo”, explica em nota.

Já o Grupo Volvo decidiu suspender a produção em Curitiba, PR, por quatro semanas, a partir de 30 de março.

A medida alcança os 3,7 mil funcionários que trabalham no complexo fabril da marca em Curitiba, onde são produzidos caminhões, ônibus, motores, caixas de câmbio e cabines.

“Com isto, a empresa, seguindo as orientações das autoridades epidemiológicas, soma esforços com a sociedade para conter a velocidade de expansão do Covid-19’, explica.

O Grupo Menegotti interrompeu os trabalhos no dia 23 de março por14 dias nas unidades de Fundidos, Máquinas e Processamento de Aço, nas cidades de Jaraguá do Sul, Schroeder, Corupá, SC. A fábrica instalada nos Estados Unidos segue esta mesma recomendação.

Nos últimos dias, o Grupo já havia implementado recomendações para conter a doença. Colaboradores com mais de 60 anos de idade estavam com atividades suspensas, assim como jovens aprendizes, que não terão prejuízo no Auxílio Bolsa durante o período de interrupção.

 

Fonte: Revista Grandes Construções

 

Leia mais:

COVID-19: 6 passos para as empresas implementarem trabalho remoto

Segundo Índice Nacional da Construção Civil (INCC), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), valor em dezembro de 2019 variou 0,22%

 

Mais Notícias

No Banner to display